Bitcoin, Altcoin, Shitcoin, o que são esses termos?

por | maio 19, 2022 | Criptomoeda

Uma criptomoeda é qualquer forma de moeda que existe de forma digital ou virtualmente e usa criptografia para garantir a realização de transações.

As criptomoedas não tem uma autoridade central de emissão ou regulação, e ao invés disso, usam um sistema descentralizado para registrar transações e emitir novas unidades.

Os pagamentos em criptomoeda existem como valores digitais em um banco de dados online que documenta as transações.

A criptomoeda tem esse nome porque usa o recurso de criptografia para verificar transações, e o objetivo dessa criptografia é oferecer proteção e segurança.

O Bitcoin foi a primeira moeda criada, e ainda é a mais conhecida. Veremos mais sobre ela mais adiante.

Os fundos que são transferidos em criptomoedas são registrados em um livro contábil público e armazenados em carteiras digitais.

As criptomoedas são executadas em um livro público distribuído chamado blockchain, que se trata de um registro de todas as transações atualizadas e mantidas pelos detentores das moedas.

As pessoas podem comprar moedas com as corretoras e depois armazená-las e testá-las usando carteiras criptográficas.

Bitcoin

Como já dissemos anteriormente, o bitcoin foi a primeira moeda virtual do mundo, e não existe em papel nem em nenhum outro lugar, além de sistemas digitais.

É uma moeda descentralizada, o que significa que não existem bancos ou governos que atuam como intermediários.

Apesar de ser real, não há uma versão física desse dinheiro. Além disso, trata-se de um dinheiro limitado, pois a tecnologia envolvida na criação da moeda permite que sejam emitidas de forma virtual até 21 milhões de bitcoins.

A blockchain permite o rastreio de envio e recebimento de bitcoin por meio de pedaços de códigos com dados.

Foi criada por uma pessoa chamada Satoshi Nakamoto, mas pouco se sabe sobre ele, nem mesmo se é realmente uma pessoa.

Os bitcoins são negociados na internet em redes próprias e usam a blockchain para isso. Através dela, as pessoas conseguem comercializar a moeda de forma anônima. Os principais jeitos de comercializar bitcoin são:

  •         Comprar bitcoins de empresas especializadas na comercialização do bitcoin, conhecida como Exchange ou corretora, que reúne compradores e vendedores em um determinado ambiente digital.
  •         Negociar a compra e venda da moeda virtual
  •         Minerar bitcoins, ou seja, usar computadores de alto desempenho para que a rede usada nas transações de criptomoedas funcione.

Para comprar bitcoins é preciso passar dinheiro na moeda corrente do país de origem para uma conta de corretora ou o que está no ambiente blockchain. Isso pode ser feito por transferência bancária ou PIX, por exemplo.

É possível fracionar uma unidade de bitcoin em até 100 milhões de partes, e com isso, a pessoa pode adquirir a moeda digital por preços mais baixos do que a cotação da criptomoeda do dia.

O bitcoin pode ganhar ou perder valor de acordo com o desempenho de outras moedas, como o dólar.

Tecnologias como a criptografia e a blockchain são seguras, e inibem ações criminosas para roubar dados, ou mesmo a própria moeda.

Mas já aconteceram situações em que hackers conseguiram roubar carteiras digitais de usuários. Portanto, mesmo que a tecnologia das criptomoedas seja avançada, ela ainda pode ser alvo de ataques.

Ainda, investidores devem tomar cuidado com as corretoras, pois há algumas corretoras falsas que pegam dinheiro de pessoas que querem comprar criptomoedas. Para saber se ela é segura, antes é preciso que se pesquise a reputação da empresa, além do histórico de funcionamento.

Altcoins

Altcoin é o termo usado para identificar qualquer criptomoeda que seja diferente do Bitcoin. Como se fossem “moedas alternativas”.

São desenvolvidas para solucionar problemas de outras redes, como lentidão ou taxas altas. Há três maneiras de criar uma Altcoin:

  •         Blockchain própria

Altcoins como Ethereum, Cardano e Solana foram criadas dessa forma e o processo envolve o desenvolvimento de uma rede descentralizada do zero. Esse método de criação é mais complexo, demorado e tem custos mais elevados.

  •         Fork

É o processo de bifurcação, onde as altcoins são criadas a partir dos códigos das moedas originais.

  •         Blockchain terceira

A terceira forma de criar altcoins é por meio de blockchains prontas. Na prática é quando uma criptomoeda usa a estrutura de uma rede antiga para se lançar no mercado. A Ethereum por exemplo é uma das plataformas que oferecem essa possibilidade.

As altcoins mais famosas são a Ethereum, Litecoin, Ripple, Tether e Bitcoin Cash

Ainda, a Dogecoin é considerada a primeira meme coin do mercado de criptomoedas. Foi criada no final de 2013, e apesar das críticas, foi apadrinhada por personalidades como Elon Musk, e assim ganhou as plataformas de negociações das principais exchanges do mercado e conseguiu espaço entre as maiores altcoins do mundo.

A capitalização do mercado de criptomoedas era de US$ 1,7 trilhão no final de janeiro de 2022, onde o Bitcoin tinha 42% de participação do mercado e as altcoins 58%.

O que vale mais a pena?

Especialistas afirmam que o Bitcoin não vai reinar para sempre, e acham que em algum momento alguma altcoin vai superar a criptomoeda.

A principal vantagem de uma altcoin é o preço, pois elas podem ser adquiridas no mercado por centavos. Se o projeto for sério e ganhar apoio do mercado, a pessoa tem chances de ganhar um bom dinheiro, apostando na valorização no longo prazo.

Shitcoin

Considerado um dos termos mais controversos no mundo das criptomoedas, é utilizado para descrever projetos de investimento depreciados ou fraudes.

Trata-se de criptomoedas que foram criadas sem um propósito definido, oferecidas a preços especulativos ou que não tem uso porque são uma cópia barata de outros projetos.

Existem centenas de criptomoedas e a grande maioria delas é considerada como shitcoin. Isso acontece porque muitas pessoas querem replicar o Bitcoin e principalmente ter acesso aos ganhos que essa moeda pode proporcionar.

No mundo das criptomoedas, quando um novo projeto é lançado, certas particularidades ou características são agregadas que conferem àquele projeto um grau de confiabilidade e segurança. Por isso há 99% de chance que seja um shitcoin.

Sempre haverá um debate sobre qual moeda é útil ou não. Por isso, antes de investir em criptomoedas, estude bem o mercado e principalmente verifique a veracidade e história da criptomoeda que você deseja comprar.

Augusto Maurício

Augusto Maurício

Formado em Engenharia, iniciei no mercado de ações em 2004 realizando operações de Swing Trade. Naquela época não existia muita informação como hoje e meu aprendizado foi baseado em livros e tentativas e erros. Com a prática conquistei mas conhecimento do que perdas, e não foram poucas. Hoje me sinto capaz e faço parte de uma equipe que me motiva a ajudar a transformação na vida das pessoas.

0 comentários

Outros artigos

Planejando seu futuro com ações

Planejando seu futuro com ações

Você faz parte da estatística na qual as pessoas não querem depender somente do INSS(Previdência Social) para aposentadoria? Algumas pessoas buscam outros meios para que não dependam exclusivamente da aposentadoria do INSS futuramente e, por isso, buscam na Bolsa de...

Análise Fundamentalista ou Gráfica?

Análise Fundamentalista ou Gráfica?

Conhecer as diferenças entre Análise Técnica e a Análise Fundamentalista é essencial para escolher a melhor opção ao investir em renda variável. Além disso, é preciso que sua escolha seja de acordo com o seu perfil de investidor. E por isso, é necessário estudar bem...