Como montar uma carteira de ações bem diversificada

por | jun 30, 2022 | Educação Financeira

Diversificar os investimentos é a melhor opção para se proteger das oscilações de mercado.

Mas fazer isso exige dedicação e conhecimento, para saber quais papéis comprar e os setores de atuação.

Para quem não tem muito conhecimento ou tempo para estudar mais sobre os papéis, pode diversificar em fundos de investimentos, escolhendo o tipo de exposição como: referenciado DI, multimercado e ações, etc.

Às vezes, investir em um único fundo já é uma maneira de diversificar, pois nele podem haver várias empresas de diferentes segmentos. E quando falamos de rentabilidade, é possível medir de forma ponderada, a evolução de cada papel que você investiu.

Por que muitas pessoas não investem em renda variável?

A renda variável não é para conservadores, isso é fato.

Muitas vezes, o investidor tem medo de investir no desconhecido e também tem receio da volatilidade diária do mercado de ações, e por isso acaba ficando de fora da renda variável.

Mas com o conhecimento adequado, é possível investir de forma confortável, aportando pequenas quantias na bolsa e acompanhando seus resultados.

Afinal, já dizia o velho ditado: “Nunca coloque os mesmos ovos em uma cesta”… então se você já investe em renda fixa por exemplo, continue, e aporte pequenos valores na renda variável para diversificar e buscar lucros maiores, com a consciência que você também estará mais exposto.

Talvez você descubra que não é tão conservador como imagina.

Mas isso não é uma regra. Um investimento bom é aquele que te faz dormir bem, por isso, só tome risco daquilo que você se sente confortável.

Por falta de conhecimento, muita gente acaba seguindo algumas carteiras prontas, busca inspiração ou copia aquilo que investidores fazem na internet. Mas essas não são as melhores alternativas.

A sua carteira de ações deve ser personalizada de acordo com os seus objetivos.

Você pode usar dois tipos de análise para decidir qual ação vai comprar, e vamos falar delas agora.

Análise técnica e análise fundamentalista

Através da análise técnica (ou gráfica, se preferir), se consegue prever os possíveis movimentos do mercado no futuro. Ela se baseia na teoria que existe uma repetição de padrões e isso influencia os movimentos gráficos dos preços das ações ao longo do tempo.

É possível visualizar possíveis quedas, ou tendências que vão te dar um norte na hora de tomar decisão de como montar a sua carteira.

Já na análise fundamentalista, são utilizados os dados financeiros das empresas, para que você conheça mais sobre a situação delas no mercado.

A verdade é que essas metodologias se complementam e você pode usar as duas na hora de montar a sua carteira.

Dicas para montar sua carteira de ações

  1.       Conheça seu perfil

Todo investimento tem um risco, alguns são pequenos, outros são grandes. O que vai determinar o quanto você vai se expor a esses riscos é o seu perfil de investidor, como falamos acima. Se você tem um perfil mais agressivo e expõe mais da metade do seu capital na renda variável deve diversificar bem suas ações, para lidar com a volatilidade do mercado.

  1.       Defina seus objetivos

É preciso saber aonde se deseja chegar para que se possa alcançar algum lugar.

Os objetivos devem fazer parte do plano de qualquer investidor, seja ele conservador ou não, e quando bem definidos, direcionam as ações que você deve comprar.

Por exemplo, se o seu objetivo for apostar no longo prazo, ou criar uma renda passiva, você pode aportar em fundos imobiliários. Se está buscando valorização em um curto período de tempo, o mercado de ações é para você.

  1.       Entendendo os riscos

Se você perder todo o dinheiro aportado hoje, o que acontece? Essa é a pergunta que você tem que fazer.

Infelizmente, não é incomum ver relatos de pessoas que usaram o dinheiro do aluguel, rescisão do emprego, salário do mês na bolsa de valores e perdeu tudo. Porque a ganância nessas horas fala mais alto do que o medo.

Entenda quais são os riscos que você está correndo, e trabalhe com a diversificação de ativos para minimizar as perdas quando e se acontecer.

Aqui temos que falar também sobre a reserva de emergência. Todo investidor deve ter uma reserva de capital para suprir suas necessidades fixas caso fique desempregado, fique sem receber salário ou algum cliente não pague.

Monte sua reserva de emergência e deixe-a aportada no Tesouro Direto.

Diversificar a carteira não se trata apenas de trabalhar com empresas diferentes, mas também com setores diversificados. Veja como está o mercado, quais são os segmentos mais interessantes no momento? Faça essa análise e invista nas empresas mais promissoras, de acordo com o seu perfil.

  1.       Invista em conhecimento e conte com ajuda

A partir do momento que você decide investir, você precisa aprender mais sobre o mercado.

Aprender sobre o mercado financeiro vai te dar mais confiança na hora de comprar uma ação e principalmente de escolher o produto que você vai investir.

Esse aprendizado contribui para mudança de comportamentos e provavelmente vai te trazer mais sucesso.

Se você não consegue ou não tem tempo para estudar mais sobre o assunto, você pode contar com agentes autônomos de investimento da sua corretora. Eles estão preparados para ajudar você a escolher os papéis e tirar suas dúvidas com total atenção.

Enfim, o que uma carteira de investimentos bem diversificada deve conter?

Já falamos aqui que uma carteira bem diversificada deve conter diversos tipos de investimentos, de baixo, moderado e alto risco.

Distribua seus investimentos em produtos nessas classes de ativos:

  •         Renda fixa – Tesouro Direto, CDB, LCI e LCA
  •         Renda variável – ações, ETFs, Opções
  •         Fundos de investimento – fundos de renda fixa, fundos multimercados, fundo de ações e fundos imobiliários

É importante lembrar que uma carteira sem diversificação reduz os seus ganhos e sua segurança. Encontre o equilíbrio na hora de investir, assim, você irá ampliar a rentabilidade.

Distribua dinheiro levando em consideração o momento econômico atual do país, principalmente em ano eleitoral, e busque conhecimento para reduzir os riscos e aproveitar melhor as oportunidades.

Augusto Maurício

Augusto Maurício

Formado em Engenharia, iniciei no mercado de ações em 2004 realizando operações de Swing Trade. Naquela época não existia muita informação como hoje e meu aprendizado foi baseado em livros e tentativas e erros. Com a prática conquistei mas conhecimento do que perdas, e não foram poucas. Hoje me sinto capaz e faço parte de uma equipe que me motiva a ajudar a transformação na vida das pessoas.

0 comentários

Outros artigos