Análise de Ações: Comece a Operar Com Mais Confiança

por | out 14, 2020 | Educação Financeira | 0 Comentários

A análise de ações é algo que está 100% presente na vida de quem deseja viver de investimentos. Ela possui ferramentas que são indispensáveis para o investidor e auxiliam bastante no processo de tomada de decisão.

Existem muitas formas de fazer a análise de ações e cada uma delas tem suas particularidades, variando muito conforme o objetivo e perfil do investidor.

Continue lendo este artigo e vem com a gente entender melhor como operar com mais confiança, baseado em uma análise bem feita

Qual a importância de fazer uma boa análise de ações?

[analise de acoes - investidor analisando indicadores no computador]

O mercado financeiro não é algo tão simples e para evitar ou minimizar os riscos é fundamental que o investidor esteja sempre estudando e pesquisando. 

A etapa de análise de ações é importante para montar uma boa estratégia e assim conseguir ter um rendimento maior. Afinal, as chances de sucesso de um investimento baseado em análise são muito maiores do que aquele que foi feito sem muitos critérios.

A análise também ajuda ao investidor a identificar o melhor momento para negociar a compra ou venda de um ativo.

Análise Técnica de ações

Essa análise, também conhecida como análise gráfica de ações, é muito usada para operações de Day trade e Swing trade. 

Seu fundamento se baseia na lei da oferta e demanda, ou seja, se uma ação é avaliada em um determinado preço.

Isso significa que existem vendedores dispostos a vender por tal valor e compradores dispostos a comprá-la pelo valor avaliado.

Nesse tipo de análise, é feito um estudo estatístico que acompanha a evolução do preço de um ativo, através do gráfico. A partir desse acompanhamento e utilizando indicadores é capaz de indicar mudanças no comportamento do mercado.

Os fundamentos da Análise Técnica

Para ler os gráficos, os investidores levam em consideração três fundamentos que são totalmente importantes para estudar os preços. São eles:

  • Movimento do mercado

Por mais que existam fatores políticos, notícias importantes e o comportamento de outros investidores influenciando e refletindo no preço do ativo, ao analisar um gráfico o investidor deve focar no movimento do preço, porque os aspectos já estão sendo representados através desse movimento.

Caso queira entender o que causou esse movimento em determinado período, o investidor pode buscar os aspectos que provavelmente o ocasionaram.

  • A tendência dos preços

Quando o investidor consegue identificar o início da formação da tendência, ele consegue definir de forma mais clara a sua decisão.

  • Padrões

Uma das coisas que influenciam o preço é o caráter psicológico dos investidores, e os padrões gráficos acabam representando esse caráter e indicando que podem voltar a acontecer no futuro. Vamos supor que vemos uma ação cair, neste momento, a maioria dos investidores vão querer vender esse papel, isto indica um padrão.

Preços e tendências

 

No mercado financeiro, o movimento não se dá de forma linear, e essa variação dos preços acaba formando os topos e fundos. As tendências indicam o sentido em que o ativo ou o mercado está indo, ou seja, se está em direção ao topo ou ao fundo.

Na análise técnica, é possível observar três tipos de tendências: tendência de alta, tendência de baixa e tendência lateral. Vamos ver melhor cada uma dessas tendências logo abaixo.

Tendência de alta

Essa tendência acontece quando há uma maior demanda de compra e com isso, os preços sobem. É possível visualizar uma tendência de alta quando os topos e fundos se formam de maneira ascendentes.

A linha de tendência alta é um bom indicativo para aqueles investidores que desejam aproveitar esse momento de alta para vender ativos ou comprá-los antes 

que o preço suba mais.

Uma curiosidade da tendência de alta é que ela também é conhecida como Bullish. Esse termo que vem de “bull” (touro), faz referência ao ataque do touro, que acontece de baixo para cima.

Tendência de baixa

Nesta tendência a pressão vem da oferta, ou seja, há mais número de oferta do que interesses de compra. E assim o preço do ativo sofre a queda.

Nesse caso, o topo e o fundo são formados de forma descendente.

A tendência de baixa também é conhecida por bearish e esse termo vem de “bear” (urso). A relação com o urso se dá por causa do seu movimento de ataque, que acontece de cima para baixo.

Tendência lateral

Esta tendência representa um equilíbrio no mercado, de forma que ele não fique nem em alta, nem em baixa. Neste caso, o mercado se mantém estável, com a mesma proporção de pressão vendedora e compradora. É comum ouvir a expressão “o mercado está andando de lado” para se referir a esta tendência.

Suporte e resistência

Os níveis de suporte e resistência marcam os momentos onde os investidores estão mais interessados a comprar ou vender seus papéis.

  • Resistência – representa o momento em que o preço está subindo e encontra um limite, como se fosse um teto, dificultando a sua passagem. Como consequência, ele recua e começa a descer.

  • Suporte – o processo é praticamente o mesmo que o da resistência, porém na direção oposta, ou seja, o preço está descendo e chega a uma base que o impede de continuar descendo e como consequência, ele volta a subir.

Pode acontecer do preço conseguir romper a resistência ou o suporte, dessa forma, a resistência passa a ser um novo suporte e o suporte passa a ser a nova resistência.

Análise gráfica

[Analise de acoes - grafico de acoes]

É muito comum ver alguns investidores se referir a análise técnica como análise gráfica. Entretanto, existe uma particularidade em cada um desses termos.

Enquanto a análise gráfica estuda o comportamento de investidores e usa o gráfico de preços para avaliar ele, a análise técnica observa o comportamento dos preços e usa cálculos matemáticos e estatísticos sobre eles, gerando os indicadores técnicos como IFR (Índice de Força Relativa), MACD (Convergência e Divergência de Médias Móveis) e Médias Móveis.

Dessa forma, a análise gráfica é mais focada em identificar o comportamento psicológico dos investidores.

Análise fundamentalista

Na Análise fundamentalista, o objeto de análise é a situação financeira, econômica e setorial de uma empresa, com o objetivo de estabelecer um preço justo para as suas ações e seu potencial futuro.

Neste tipo de análise o preço do mercado não representa o valor real de uma ação, e é exatamente isso que a análise fundamentalista estuda. Ela define o valor intrínseco, que é o valor real de um ativo, levando em consideração informações da empresa como:  dados econômicos, indicadores financeiros, balanços e resultados.

Os documentos financeiros indispensáveis para a análise fundamentalista são: balanço patrimonial, demonstrativo de resultado do exercício, demonstrativo do fluxo de caixa.

A partir desses documentos os investidores conseguem analisar os seguintes indicadores:

  • Índice Preço/Lucro
  • Preço/Valor Patrimonial
  • Preço/Vendas
  • Ebitda (LAJIDA)
  • Dividend Yield
  • ROE (Return On Equity)

Fatores macroeconômicos e fatores microeconômicos

Na Análise fundamentalista, o investidor consegue identificar o cenário macro e microeconômico que uma empresa pertence. Ao analisar esses cenários, é possível fazer projeções sobre a empresa e determinar se o preço do seu ativo está acima ou abaixo.

Os fatores microeconômicos estão ligados diretamente a uma empresa ou setor e não interferem na economia no geral. São eles:

  • Gestão da empresa
  • Insumos e bens de produção
  • Análise de concorrência

No caso dos fatores macroeconômicos, eles impactam a economia como um todo e dessa forma interferem em todas as empresas do país. São fatores macroeconômicos:

  • Taxa de Juros
  •  Inflação
  • Taxa de desemprego

Conheça o nosso curso de Day Trade e aprenda a ganhar dinheiro com o mercado.

Conclusão

Estudar e fazer a análise de ações é um hábito essencial na vida do investidor. É a partir dessas análises que ele consegue montar uma boa estratégia e ter resultados positivos com suas operações.

Aplicar a análise técnica e a análise fundamentalista nos seus investimentos, aumenta consideravelmente as chances de sucesso e ganhos ao operar.

Acompanhe o nosso trabalho nos seguindo no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

 

Augusto Maurício

Augusto Maurício

Formado em Engenharia, iniciei no mercado de ações em 2004 realizando operações de Swing Trade. Naquela época não existia muita informação como hoje e meu aprendizado foi baseado em livros e tentativas e erros. Com a prática conquistei mas conhecimento do que perdas, e não foram poucas. Hoje me sinto capaz e faço parte de uma equipe que me motiva a ajudar a transformação na vida das pessoas.

0 comentários

Enviar um comentário

Outros artigos